quarta-feira, 10 de março de 2010

Com licença....

 

Não se mate...

Fatima, sossegue, isto é o amor.
Hoje escanteio
amanhã beijo roubado
sábado e domingo é solidão
 e segunda feira dia de ir pro trabalho.

Nunca resisti ao amor
e nem tampouco ao suicidio.
Mas não vou me matar,oh não vou!
Reservo-me para mim mesma
e renuncio às bodas
sejam elas quais forem.

O amor, Fatima, o que é o amor?

A noite me invadiu e a manhã
me pegou sentada, desamparada
inventando uma oração
sublimando a ressaca
sem vitrolas e anúncios
rezando pra São Carlos
que me dê inspiração
nem sei pra quê
...
Entretanto aqui estou eu
sentinela e renitente.
Sem ser palmeira, sigo orquidea.
Sempre preferi as flores às arvores de folhas bobas.
Não sou grito, minha timidez não deixa.
O amor no escuro ou no claro
é o que quero
E se ele for triste não me importo
já me acostumei com este embaraço.

3 comentários:

Mistério do Planeta disse...

ah, descobri de onde saiu este poema :)

Diario da Fafi disse...

Rsss Na verdade, não misterios...

A solução da charada está no título e nos primeiros versos...

Esta é uma homenagem ao grande poeta. Mas posso te dizer: Não é todo mundo que saca não...

carinhos....

Jonathan disse...

Gostei mt da estrofe que começa com: "A noite me invadiu e a manhã" !!! Tem delicadeza e desespero ao mesmo tempo!