quarta-feira, 28 de outubro de 2009


" Me sinto Livre para fracassar"

Para sentar no banco e chorar todo tempo que perdi dilacerando...

Me sinto livre para voltar atrás e começar uma nova escrita
que não terá fadas veladas nem vigas de carvalho.

Me sinto livre...

Infinitamente liberta das amarras das coisas gratuitas.
Os abismos dão pequenos arranhões, e vou seguindo sem fazer sonetos.

Ser. Não ser. Tempo para estar.

Se reconhecer.
e voltar a pé do meio do caminho.

Um comentário:

Chris Amag disse...

Lindo o seu blog, Fátima!

Gostei do jeito que descreve, que deslisa os seus versos entre fantasias e encantos...

Voltarei sempre para entrar nesse
mundo onde tudo parece mágico!

Abraços!