terça-feira, 5 de maio de 2009

Tráfego

Meus pensamentos voam como borboletas

enquanto o amor ultrapassa todas as ruas com sinais fechados

e se atreve a chegar até o ponto onde não tem mais voltas

e nem curvas abertas.

E assim,me entrego a ti

Sem medo de trafégo e engarrafamentos.

2 comentários:

Úrsula Avner disse...

Oi Fatima, que delícia de poema com belas metáforas. Um poema em breves versos, porém expressivo e na medida certa no que se refere ao encanto que a poesia deve suscitar. Lindo ! Bjs com carinho.

Dulce disse...

Que amor mais lindo, Fafi!...
Bonito de ler, bonito de imaginar... Beijos