domingo, 25 de janeiro de 2009

Fecho a porta devagar.

Saio de mansinho e alheia ao movimento...

Suas poucas palavras me servirão de assombro

durante algum tempo.

Me acompanharão como almas penadas, enquanto velo o luto da tua perda.

Mas vou em frente.

Tenho dois pés.

E asas.

2 comentários:

Dulce disse...

Lindo! Triste, mas lindo...

Neusa Doretto disse...

Muito,muito bom! Muito,muito bom!